Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Balneário Camboriú continua liderando lista das cidades com metro quadrado mais caro do Brasil

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Balneário Camboriú continua liderando lista das cidades com metro quadrado mais caro do Brasil

Raul Sartori

BC mais caro
Saiu ontem o novo índice FipleZap das 50 cidades quanto ao avanço (0,36%, em média) nos preços médios de venda de imóveis novos em janeiro deste ano. O metro quadrado mais caro não ficou com nenhuma capital, mas sim com de Balneário Camboriú (RS 12.822).

Ironia
Sem prestação de contas das eleições de 2020, o Partido da Mulher Brasileira (PMB) em SC teve seu registro suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral. Consta que a responsabilidade pela prestação de contas era de um homem.

Fazer ruído
A Polícia Civil de SC concluiu o inquérito sobre a morte de um grupo de quatro jovens em uma BMW, em Balneário Camboriú. A causa foi a ruptura de uma peça instalada no veículo numa oficina de Aparecida de Goiânia (GO). Objetivo da peça? Conferir maior potência e, consequentemente e mais importante, proporcionar mais ruído ao escapamento do automóvel. Deu no que deu.

Assédio eleitoral 1
O estranho na condenação, a qual cabe recurso, do empresário Luciano Hang e da Havan, no estrambótico valor de R$ 85 milhões por assédio eleitoral na distante eleição de 2018, é que a decisão é da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis, dada pelo juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, e não da Justiça Eleitoral, onde, em tese, parece ser o âmbito adequado. Não há maiores dúvidas de que decisões desse tipo só elevam ainda mais o descrédito no Judiciário, nesse caso o trabalhista.

Assédio eleitoral 2
O colunista Cláudio Humberto não perdoou. Escreveu: “Ramo jabuticaba do Judiciário brasileiro, a Justiça do Trabalho continua fazendo política. Agora quer arrancar R$85 milhões do perseguidíssimo empresário Luciano Hang e sua Havan por ´assédio eleitoral´. Triste país´”. Pensando bem….

Ranking da dengue
SC assumiu ontem, conforme levantamento do Ministério da Saúde, o segundo lugar no ranking dos Estados com maior alta de dengue no Brasil em janeiro. O líder é o Rio Grande do Sul. Aqui foram 5.657 casos, elevação de 1.668% comparativamente aos de janeiro do ano passado (320). Só quem já contraiu a doença em estágio mais grave sabe exprimir o sofrimento atroz, de dias, que aquele desgraçado mosquito causa.

A volta
A literatura catarinense, que há tempos estava banida da lista de obras indicadas no programa da disciplina Literatura Brasileira dos vestibulares está de volta. Pelo menos no Unificado 2025 da UFSC e do Instituto Federal de SC (IFSC). Está lá o maravilhoso livro de contos “Singradura”, do escritor Flávio José Cardoso. Composta por 20 contos, a obra traz saborosas histórias ambientadas em Florianópolis.

Habitante x automóvel
Um levantamento da Federação das Indústrias de SC – entidade que participa do grupo que visa buscar soluções para o caótico transito na SC-401, em Florianópolis, maior rodovia do Estado com características urbanas, revela que atualmente existe 0,72 automóvel por habitante na capital catarinense. No Brasil a proporção é de um para cada quatro habitantes, conforme o Denatran. Outro dado: apenas 7 mil pessoas utilizam, por dia, o serviço de transporte público na rodovia.

Jornada reduzida
O Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região/SC manteve decisão de primeiro grau que reduziu em duas horas diárias, sem necessidade de compensação, a jornada de uma empregada da Caixa Econômica Federal cujo filho tem Síndrome de Down e Transtorno do Espectro Autista. O caso aconteceu em Florianópolis. Ao procurar a Justiça do Trabalho, a mulher alegou dificuldades em acompanhar os diversos tratamentos necessários para o desenvolvimento do filho de quatro anos, devido à jornada de seis horas diárias. A CEF alegou inexistência de previsão legal para o pedido.

Vítima de crime
Na volta do recesso o Senado analisará o projeto de lei 6.024, que altera a Lei de Benefícios da Previdência Social para destinar 30% do valor do benefício para quem foi vítima de ato ilícito praticado pelo segurado que for preso. Atualmente é auxílio-reclusão é pago aos dependentes do trabalhador de baixa renda enquanto esse segurado estiver preso em regime fechado e não receber remuneração da empresa para a qual trabalha. Na prática, o texto prevê a divisão do auxílio-reclusão entre a família do preso de baixa renda e a vítima do crime cometido ou de seus herdeiros em caso de morte por causa do delito sofrido. Justo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo