+

De abrigo para viajantes a aluguel de bicicletas: conheça complexo ciclístico criado por família de Joinville

Pedalise nasceu como uma startup e atualmente recebe eventos e promove pedaladas pela cidade

De abrigo para viajantes a aluguel de bicicletas: conheça complexo ciclístico criado por família de Joinville

Pedalise nasceu como uma startup e atualmente recebe eventos e promove pedaladas pela cidade

Isabel Lima

Um complexo ciclístico em Joinville é a proposta da Pedalise, iniciativa que partiu de demandas observadas pela família Carletto. Pai, mãe e filhos compartilham o amor pelo ciclismo e o espírito empreendedor. O modelo da Pedalise, startup na área de serviços, proporciona estadia para cicloviajantes da América Latina, integração entre ciclistas da cidade, bate papos sobre mobilidade, pedaladas para os mais diferentes níveis e mais. 

Inaugurada em 3 de março de 2023, a Pedalise passou por diversas etapas antes de se tornar realidade. Localizada na rua Ernesto Ravache, 155, no bairro Santo Antônio, na Zona Industrial de Joinville, o espaço promete happy hours regados a cerveja e comida boa. Tudo isso depois de uma pedalada, que pode passar pelas rotas de cicloturismo presentes em Joinville e região. 

Luis Antonio, o pai da família Carletto e idealizador do Pedalise | Foto: Isabel Lima/O Município Joinville

“A gente é ciclista na cidade e viu que faltavam serviços para atender os ciclistas”, conta Luiz Antonio Carletto. A startup é cadastrada no Hospedal, iniciativa que conecta cicloviajantes com anfitriões. A ideia é fornecer um espaço seguro, onde o viajante consiga fazer a higiene, descansar e partir no outro dia para mais uma etapa do trajeto. Tudo isso de forma gratuita. 

Cicloviajantes


Desde a inauguração, a Pedalise recebeu quatro estrangeiros cicloviajantes. A última que passou pelo local foi Emília, uma argentina simpática, que está na viagem de volta a Córdoba. Ela saiu da Argentina, passou pelo Uruguai, Rio Grande do Sul, subiu para o Paraná até chegar em São Paulo.

Morou durante um tempo em Campinas até decidir descer para o litoral. Aos poucos ela foi descendo até passar por Joinville. “Meu corpo precisava descansar um pouquinho”, conta sobre a motivação da parada. Foi a Pedalise que a acolheu para repor as energias e retomar a viagem.

“No projeto original a gente tinha feito um quartinho”, explica Luiz. Mas em conversas com os ciclistas, descobriram que era necessário apenas um espaço seguro, água e banheiro.

Semanas antes de Emília, outras duas argentinas se hospedaram na Pedalise e até participaram de pedaladas em grupo. Quando passaram por lá, Dani tinha como destino o Nordeste, e Sol, o Amazonas. As duas são artesãs, produzem acessórios e vendem nas paradas que fazem no caminho. 

Continua após o vídeo

É comum que cicloviajantes passem por Joinville antes de chegar ao litoral. É justamente nessa passagem entre um destino e outro que os ciclistas precisam de um lugar como a Pedalise. 

Mas há também ciclistas convidados pela família Carletto e o portal Aventuras na Bike, como Leo Pedalando o Mundo. O baiano está na missão de descer do Alasca ao Ushuaia pedalando no menor tempo possível. 

Bem conhecido entre amantes do ciclismo, Leo contou histórias da aventura em uma noite de bate-papo promovida na Pedalise. No dia seguinte, partiu em pedalada com um grupo de ciclistas da cidade, que mostraram a Vila da Glória para Leo e a mãe, fiel parceira do filho. 

Noite em que Leo compartilhou suas experiências na Pedalise | Foto: Rica Bike/Repordução

“A gente segue eles no Facebook para ver como que está”, complementa Carletto. O intercâmbio cultural entre os viajantes e a Pedalise costuma ser compartilhado nas redes sociais do espaço. 

Estacionamento, eventos e mais

Acesso para o segundo piso, onde fica o estacionamento, tem rampas para subir a bicicleta com facilidade | Foto: Isabel Lima/O Município Joinville

Além da estadia gratuita para quem passa, a Pedalise busca promover o ciclismo em Joinville. Para isto, perceberam que ciclistas que moram em apartamento não tinham um local seguro para guardar as bicicletas. Com a verticalização da cidade, sabiam que era necessário criar um estacionamento de bicicletas.

“O cara chega do pedal, vira as costas vai para o happy hour, na hora que quer pedalar, pode pegar a bike limpa, pronta. A hospedagem inclui também manutenção básica, tem oficina, tudo aqui, não precisa esquentar a cabeça”, explica Luiz Antonio. Na parte superior do espaço, há um estacionamento fechado, com entrada monitorada e restrita, onde ciclistas da cidade podem fazer reparos em uma mini oficina e deixar as “magrelas” seguras durante a noite ou dia no trabalho.

Espaço conta com mesas, tanque, estacionamento de carros e banheiros equipados | Foto: Isabel Lima/O Município Joinville

A localização da Pedalise ajuda. Próxima ao distrito industrial, busca promover o uso das bikes no dia a dia de quem mora em Joinville. “O pessoal vem, toma um banho e vai trabalhar”, diz Carletto. 

Ponto de encontro

Ciclistas antes de sair para a pedalada | Foto: Divulgação

Além do estacionamento, a Pedalise serve como um ponto de encontro para grupos de ciclismo. Seja para encontro antes ou depois da pedalada. “A gente ficava à mercê da chuva e do sol, não tinha banheiro, não tinha um lugar para tomar uma cerveja depois”, explica o ciclista. 

Os próprios grupos de pedal podem trazer carne e utilizar a churrasqueira do local. O objetivo é dar esse acolhimento ao ciclista, com um espaço de gastronomia e segurança. “Sempre você tem que ter comida e bebida envolvida”, reforça Carletto.

Para ele, esse é um dos motivos pelo qual o ciclismo ganha adeptos. “Tem muita história pra contar. Você fica oito, dez horas com a pessoa do seu lado. Essa é uma das coisas que atraem muito ao ciclismo”, conta. “Aí durante o pedal você ficou conversando com um amigo, mas não falou com outra, fora que na volta de pedal todo mundo está com fome e com sede e não tinha um lugar para isso”, completa.

Divulgação

Para os próximos meses, a Pedalise já tem agenda gastronômica. Todo fim de semana os pratos são servidos, além de uma degustação de queijos e vinhos, noite de sopas e festa junina. O espaço ainda promove debates, como o de 19 de maio, quando vão receber a cicloativista Renata Falzoni para falar sobre mobilidade urbana.

Iniciação no ciclismo

Isabel Lima/O Município Joinville

Para a família Carletto, uma surpresa foi a quantidade de pessoas que aderiu aos grupos de pedal iniciante. Luiz Antonio conta que a ideia era promover o ciclismo na cidade, mas não esperava que em tão pouco tempo, cerca de 350 pessoas fizessem parte do grupo no WhatsApp. 

“Aqui já encontra bike para alugar, antes de comprar, a gente faz os pedais junto com eles, troca um pneu, ajuda, dá aquela segurança”, ele explica. Nos sábados de manhã, às 8h30, o grupo iniciante parte do Pedalise e faz algum trajeto pela cidade, são cerca de 20 km/h percorridos em ritmo de passeio. 

Para aqueles que têm mais experiência, toda segunda-feira, às 19h30, sai um grupo em direção do Rudnick. Outro grupo acontece no domingo de amanhã, também às 8h30, e percorre algum outro trajeto. 

Os feriados são reservados para quem pratica o esporte há algum tempo, isso porque o ritmo é mais forte e as distâncias mais longas. 

Veja mais fotos do espaço:

Isabel Lima/O Município Joinville
Isabel Lima/O Município Joinville
Isabel Lima/O Município Joinville
Isabel Lima/O Município Joinville
Isabel Lima/O Município Joinville

Leia também:
1. WhatsApp anuncia função que protege conversas com senhas; confira como usar
2. Empregos em Joinville: Cepat divulga 530 vagas nesta segunda-feira
3. Homem é baleado por homens em motocicleta, em Joinville
4. Joinvilense transforma paixão por mangás em negócio de sucesso e cria primeiro sebo especializado do país
5. Em documento, Prefeitura de Joinville se compromete a construir 15 CEIs até 2025


Com arquitetura única em Joinville, Palacete Dória precisou ser construído por empresa de Curitiba:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo