Após anos de operação com dívidas, empresa de Joinville tem lucro de R$ 3,3 milhões em 2022

Lucro é do primeiro trimestre de 2022

Após anos de operação com dívidas, empresa de Joinville tem lucro de R$ 3,3 milhões em 2022

Lucro é do primeiro trimestre de 2022

Economia em Pauta

A Dânica Soluções Termoisolantes Integradas obteve lucro líquido de R$ 3,3 milhões no primeiro trimestre de 2022. Depois de anos com a operação no vermelho, a empresa de Joinville fechou 2021 com balanço positivo e receita de R$ 305 milhões.

Segundo a empresa, essa é mais uma etapa no processo de consolidação como uma das líderes do mercado de soluções termoisolantes. Em fase de recuperação financeira, a Dânica registrou R$3.348.200 de lucro líquido neste ano, resultado positivo que sucede um 2021, que trouxe uma receita 10% acima do ano anterior, com uma geração de caixa operacional (Ebitda) de 21,7 milhões de reais, algo que não acontecia nos últimos 4 anos.

A empresa atende segmentos como indústria frigorífica, construção civil, aeroportos, shoppings, escolas e hospitais.

Reestruturação

Atingida pela crise do mercado e pelo incêndio em 2019, na unidade de Aparecida do Taboado (MS), principal fábrica, a empresa teve de pedir recuperação extrajudicial em 2020.

No mesmo ano, foi adquirida pelo empresário Pedro Echegaray, que passou a executar um plano de reestruturação, focado em reduzir custos e recuperar margens. “Como foco na qualidade, serviços técnicos e soluções personalizadas, mudamos o foco da quantidade para a rentabilidade”, afirma o CEO da Dânica.

Pedro Echegaray | Foto: Divulgação

“Em 2021 começamos a colher os frutos, com a volta do lucro, impulsionada também pelo reaquecimento do mercado. Mas, para mim, a prova de fogo foi seguirmos no azul neste primeiro trimestre de 2022, mesmo com desaquecimento e impacto da alta do dólar nos preços”, avalia Echegaray.

Como parte do plano de reestruturação, em junho deste ano a companhia teve seu pedido de Recuperação Judicial aprovado. Assim, poderá renegociar dívidas de forma controlada, sem prejudicar suas operações e com garantias das leis brasileiras tanto para a Dânica quanto aos credores.

“Queremos equilibrar as finanças da empresa e, ao mesmo tempo, trabalhamos em sua expansão. Para isso temos conduzido nossas operações pelo viés da sustentabilidade”, explica o CEO.

Empresa e mercado

O mercado de produtos e soluções termoisolantes para engenharia civil tem potencial de crescimento no Brasil. As construções que utilizam estas soluções apresentam uma diferença de até 7 graus na temperatura ambiente, o que reduz em mais de 50% o consumo de energia com refrigeração.

Além disso, o processo construtivo é limpo, sem utilização de água e com praticamente zero de resíduos, pois as placas são feitas sob medida.

Com fábricas em Aparecida do Taboado (MS) e em Toluca, no México, além da sede administrativa localizada em Joinville (SC), a empresa gera 250 empregos diretos e mais de 100 empregos indiretos.

A Dânica é remanescente da Tupiniquim Plásticos, dividida da Tupy em 1963 para fabricação de isopor. Nos anos 70, começou a construção de grandes câmaras frigoríficas, desenvolvidas principalmente depois da compra de tecnologia sueca para ser usada como termoisolantes.

Em 1998, o dinamarquês Per Barke Nevermann consolidou a marca Dânica, que após várias mudanças de acionistas hoje é controlada pelo CEO da Companhia, Pedro Echegaray.

– Assista agora:
Região de Joinville já era habitada há 10 mil anos: conheça os quatro povos anteriores à colonização

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo