+

Homem é acusado de estuprar, engravidar e forçar aborto de sobrinha no Litoral Norte

Vítima tinha 14 anos

Homem é acusado de estuprar, engravidar e forçar aborto de sobrinha no Litoral Norte

Vítima tinha 14 anos

A Agência de Inteligência do 31º Batalhão da Polícia Militar foi acionada pela diretora adjunta do colégio Maria Linhares, de Itapema, para verificar uma situação de abuso sexual contra uma aluna.

Segundo informações preliminares dadas pela diretora, a adolescente de 14 anos teria dito que havia sido abusada diversas vezes pelo tio, irmão da mãe dela.

Além disso, a menina também informou que estava grávida de aproximadamente 7 semanas e que teria adquirido via internet um medicamento para iniciar um tratamento abortivo.

Atos

Diante disso, na segunda-feira, 11, a diretora chamou a mãe da menina bem como a adolescente no colégio e a mesma confirmou a situação. A mãe ainda afirmou que havia feito um teste de gravidez de farmácia e que o mesmo teria dado resultado positivo. A diretora então se propôs a levar as duas ao hospital Santo Antônio e assim o fez.

Nesta terça-feira, 12, a aluna não compareceu às aulas e a diretora, ainda preocupada, acionou a polícia. Após tomar ciência de todos os fatos, os policiais foram até o posto de saúde do bairro Casa Branca onde localizaram a adolescente e sua mãe aguardando atendimento.

De imediato e já na presença da conselheira tutelar, a vítima confirmou que desde o ano de 2017 sofre abusos por parte de seu tio, um homem de 46 anos.

Segundo ela, no mesmo ano foi realizado um boletim de ocorrência e perícia criminal, porém, por não ter na época dos fatos ocorrido conjunção carnal, “a perícia foi inconclusiva ou não apresentou subsidiado de forma incontestável que ocorrera o estupro”.

Conforme relato da adolescente, os estupros continuaram desde então, sendo efetivamente consumada a conjunção carnal pela primeira vez no ano de 2021. Após isso, o ato teria acontecido diversas vezes.

Gravidez

De acordo com os relatos, o homem se aproveitava de momentos em que a menina estava sozinha em casa e pulava a janela, ou até mesmo entrava pela porta da frente, já que tinha livre acesso à residência. Quando entrava, lhe estuprava seguidas vezes.

O fato seguiu ocorrendo até que certa vez o estupro ocorreu na casa do autor, quando a vítima assistia filmes deitada no colchão com os filhos dele. A vítima informou ainda que já havia iniciado o procedimento de aborto utilizando o medicamento CYTOTEC (medicamente de venda proibida no Brasil) e que o mesmo lhe fora fornecido pelo autor, que a obrigou a tomar os medicamentos de 12 em 12 horas.

A polícia informou que o tratamento colocou em risco a vida da adolescente e do bebê que a mesma carrega em seu ventre. Ainda segundo relato, um médico teria dito para a adolescente que que possivelmente ela já havia perdido o feto, já que estava sangrando abundantemente. Ela mostrou para a polícia a cartela do medicamento que lhe foi entregue pelo estuprador.

Procura

Diante dos fatos, a vítima foi encaminhada ao Instituto Geral de Perícias para laudos periciais. Ela foi acompanhada pelo conselho tutelar e pela mãe.

A equipe policial foi até a residência do autor na esperança de encontrá-lo, porém, não havia nenhum morador presente. Pela janela, foi possível visualizar malas já prontas para viagem, bem como vários outros pertences embalados, demonstrando que o mesmo está pronto para fugir e esquivar-se de ser penalizado.

“Ele é autor é natural de Alagoas e nitidamente pretende fugir para aquele estado. O autor ainda não foi localizado. Até o encerramento do BO, não se teve notícia se foi confirmado o aborto”, publicou a polícia.


Assista agora mesmo!

Conheça o Palacete Dória em Joinville; local possui peças em bronze, prata e marfim:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo