Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Instituições privadas podem ser incluídas no programa Universidade Gratuita em SC

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Instituições privadas podem ser incluídas no programa Universidade Gratuita em SC

Raul Sartori

Divisão mais justa
O programa Universidade Gratuita, que Jorginho Mello quer que seja a marca maior de seu governo, parece que se encaminha, finalmente, para uma saída honrosa que agrade gregos e troianos. A proposta atual contempla os estudantes das universidades comunitárias (as filiadas à Acafe, que tem aportes financeiros de prefeituras) com 80% dos recursos, ficando 20% para as comunitárias (particulares). Os deputados estaduais, em grupo que já tem maioria, propõem algo que soa como mais justo: 70% e 30%, respectivamente.

Crueldade
Na notícia, com repercussões internacionais, de que o Ibama apreendeu, anteontem, no porto de Itajaí, 28 toneladas de barbatanas de tubarão – a maior do mundo até hoje com tal mercadoria – logo vai se expor uma crueldade: boa parte dos 10 mil tubarões vítimas do crime tiveram suas barbatanas subtraídas ainda enquanto vivos e depois devolvidos ao mar, para morrer. Sem poder nadar, evidentemente.

Jornadas de 2013
Quem não lembra das grandes manifestações pelo Brasil em junho de 2013, que tiveram como estopim a possibilidade de aumento do preço da passagem do transporte coletivo? Houve mudanças e as tarifas se comportaram razoavelmente desde então. Hoje, a capital brasileira que tem a passagem de ônibus mais barata é Maceió, R$ 3,49, seguida por Rio Branco, R$ 3,50. Florianópolis tem a sexta mais alta, R$ 4,98.

Estrela
A mídia ligada à moda está destacando, por estes dias, a volta à marca catarinense Colcci, depois de oito anos, de sua garota-propaganda, Gisele Bündchen. A modelo estrelará a nova linha premium da grife, a Iconic Jeans, a ser lançada na primavera, em dupla com o consagrado modelo itajaiense Marlon Teixeira.

Desforra
Escancaradamente parcial, o Tribunal Superior Eleitoral, um alvo constante de Bolsonaro, agora tripudia: amanhã, 22, deve oficializar a decisão de torna-lo inelegível. A data coincide com o número do partido do ex-presidente. Outra “homenagem” da corte eleitoral foi a absurda multa aplicada do PL em novembro de 2022, por litigância de má-fé: R$ 22 milhões.

Drogas
No Seminário Estadual de Políticas Sobre Drogas, anteontem, na Assembleia Legislativa, todos os palestrantes concordaram que as drogas são um flagelo e que para enfrentá-lo ainda há desafios a vencer, como a instalação de conselhos municipais antidrogas. Dos 295 municípios do Estado eles existem em apenas 50.

Terceiras-faixas 1
A construção de uma rodovia paralela à BR 101 entre Itajai e Penha custaria alguns bilhões. Pensando nisso, a concessionária Arteris divulgou que está levando à Fiesc um estudo atualizado prevendo terceiras-faixas naquele trecho, com prazo de execução de dois anos após aprovação da ANTT e liberação das licenças ambientais. Se a burocracia deixar, as obras poderiam começar entre fevereiro e março de 2024.

Terceiras-faixas 2
Para o trecho de Balneário Camboriú, outro ponto crítico, já há obras previstas: terceira faixa do km 129 até o km 135 Sul, terceira faixa do km 129 até km 138 Norte e rua lateral norte desde a Unidade de Pronto Atendimento da Barra até o Hotel Cotoni.

Crimes
O Ministério Público de SC avança no combate aos crimes de racismo, ódio, intolerância, preconceito e discriminação. Através de seu Núcleo de Enfrentamento aos Crimes de Racismo e de Intolerância (Necrim) vem se reunindo com lideranças estaduais quilombolas, da Escola Olodum Sul, do Conselho Estadual das Populações Afrodescendentes, de comissões de igualdade racial e LGBTQIA+ e de etnias indígenas de SC, com foco no desenvolvimento de projetos comuns de enfrentamento ao racismo no Estado.

Rota dos desastres
Pesquisadores da UFSC não tem mais dúvidas: SC está incluída definitivamente na rota dos desastres naturais. Estudos levantaram que de 1991 a 2021 SC contabilizou R$ 31,9 bilhões de prejuízos com cerca de 6.500 ocorrências que causaram 311 mortes, 1,1 milhão de desabrigados e 16 milhões atingidos direta ou indiretamente.

Menos violência
De janeiro a abril deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, houve queda de 22% no número de roubos em geral em SC, e de 60% em relação aos crimes de latrocínios. O governo estadual diz que é reflexo dos investimentos feitos em todas as forças de segurança. Investimentos bem feitos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo