Jorginho Mello irá processar delegado da PF que o acusou de participar da “bancada do crime”

Senador divulgou uma nota sobre o tema

Jorginho Mello irá processar delegado da PF que o acusou de participar da “bancada do crime”

Senador divulgou uma nota sobre o tema

Jotaan Silva

O senador e pré-candidato a governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL) irá processar o delegado e ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva. Por meio de nota à imprensa, Jorginho informou que o delegado fez afirmações e acusações inverídicas e sem provas.

As acusações citadas por Jorginho foram feitas pelo delegado nesta terça-feira, 14, durante entrevista ao vivo ao canal GloboNews. Saraiva falava sobre crimes ambientais que são cometidos na Amazônia, mas que acabam saindo impunes pela participação da “bancada do crime” no Senado.

“Esses criminosos têm boa parte dos políticos da região norte no bolso, eu estou falando de governadores, senadores (…) Olha o Centrão, veja de onde saíram grande parte dos parlamentares do Centrão. São financiados por esses grupos. Zequinha Marinho, Telmário Mota, Mecias de Jesus, Jorginho Melo de Santa Catarina mandou ofício, a Carla Zambelli foi lá defender madeireiro. Temos uma bancada do crime, de marginais, de bandidos”, afirmou Saraiva.

“Sabe qual é a maior prova de que estou falando a verdade? Eu já falei isso várias vezes e eles nunca me processaram, eu tenho dois carrinhos de supermercado de prova (…) Quando alguém vê o descumprimento da lei evidente e se presta ao papel de defender o marginal e atacar a polícia, está ajudando os ilegais”, também afirmou o delegado.

Confira a nota publicada por Jorginho em resposta:

“Sobre a entrevista do delegado da Polícia Federal, Alexandre Saraiva no programa Estúdio I da Globo News. O senador Jorginho Mello esclarece que sua participação nesse tema foi única e exclusivamente direcionada a solucionar um problema voltado a empresários catarinenses; com quem se reuniu, em relação à apreensão de madeiras supostamente ilegais que foram equivocadamente retidas, pois as mesmas foram extraídas legalmente. Tanto assim que as madeiras foram liberadas com o aval da Polícia Federal e do IBAMA.

O senador Jorginho Mello nunca apoiou a extração ilegal de madeiras. Além do mais, Mello não participou da referida audiência pública que ocorreu na Câmara dos Deputados e nunca fez nenhum tipo de ofensa ao delegado. Isso posto, vamos analisar se acionamos a advocacia do Senado para entrar com ação contra o delegado”.

Leia mais:
– Corpus Christi: ruas no Centro de Joinville serão interditadas
– 39º Festival de Dança de Joinville confirma participação de 550 grupos
– Jiboia de quase dois metros é capturada em empresa de Gaspar
– Jorginho Mello irá processar delegado da PF que o acusou de participar da “bancada do crime”
– Bebê se queima com água quente em creche do Vale do Itajaí e é internado em estado grave


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Joinville. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo