+
Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - [email protected]

Projeto de deputado de Joinville propõe limitar acesso a redes sociais em wi-fi de escolas de SC

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - [email protected]

Projeto de deputado de Joinville propõe limitar acesso a redes sociais em wi-fi de escolas de SC

Raul Sartori

Restrições
Começou a tramitar no Legislativo estadual projeto de estabelecendo que as conexões de internet fornecidas pelas escolas públicas do Estado (redes wi-fi) tenham acesso limitado para uso de redes sociais e serviços de streaming. Conforme seu autor, deputado Sargento Lima (PL), o acesso será permitido somente aos aplicativos de mensagem instantânea.

Excrecência eliminada
O plenário da Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade, na sessão de terça-feira, projeto de lei que estabelece como indeterminado o prazo de validade dos laudos médicos que atestam o autismo como deficiência permanente. De autoria do presidente do Legislativo, deputado Mauro de Nadal (MDB), se elimina mais uma de nossas insanas burocracias. Deficiências, salvo raras exceções, são condição permanente da pessoa, mas, na legislação atual, ela tem que prová-la todo ano, com laudo de profissional da rede de saúde pública ou privada, muitas vezes não disponível na cidade onde reside.

Excrecência eliminada
A futura nova lei deve beneficiar também os estudantes com autismo que todos os anos precisam apresentar laudo médico para ter direito ao segundo professor. Mas outras obrigatoriedades permanecem. Pessoas com nanismo, por exemplo, ainda tem que comprovar todos os anos uma condição que terão pelo resto de suas vidas.

Boa aplicação
O cidadão catarinense que paga impostos não pode reclamar da aplicação de seu suado dinheiro, pelo menos em segurança e contra os bandidos, que nunca se viram tão acossados como agora, com tantas operações em seu encalço. Uma delas, desta semana, foi mega, a Sodalitas, envolvendo 79 mandados de prisão cumpridos em 20 cidades de SC e Rio Grande do Sul.

Banir mulheres?
Algumas recentes iniciativas de deputados estaduais beiram o folclore. Assim pode ser qualificado projeto de Jair Miotto (PL), já providencialmente arquivado, por ter sido rejeitado nas comissões, propondo o banimento de outdoors com imagens sensuais de mulheres. Perguntar não ofende: e fossem imagens de homens sensuais?

Metro quadrado
Saiu ontem o ranking da FipeZap+ com os valores do metro quadrado mais caro de aluguel no Brasil. No topo está Barueri, na região metropolitana de São Paulo, no valor de R$ 53,80, em julho. A elevação, nos últimos 12 meses, até aquele mês, foi de 16,27% e Goiânia, Florianópolis e Curitiba foram as cidades que tiveram os maiores aumentos, respectivamente, com 37,39%, 36,10% e 21,33%.

Tudo a favor
Impressiona como a mídia nacional empurra Balneário Camboriú para cima toda semana, quando não diariamente. A última propaganda gratuita da “Dubai” brasileira tem como foco uma quitinete de 33 m2, com vista lateral para o mar, no valor de R$ 1,5 milhão. Viralizou no Tik Tok, que ontem tinha mais de um milhão de visualizações.

Tudo favor
Ao deslumbramento do autor da postagem se contrapuseram comentários pouco lisonjeiros, como da influenciadora Sheyla Christina, que no Twitter esnobou: “Pagar 1,6 milhão de reais em uma kitnet minúscula para ter uma vista lateral horrenda do mar de Camboriú e a janela do banheiro saindo na cozinha… nossa Dubai brasileira”.

Amin e Ana
O senador Esperidião Amin participou de audiência do Fórum Parlamentar Catarinense, terça-feira, com a ministra do Esporte, Ana Moser, para dar encaminhamento ao projeto da pista de atletismo junto ao Instituto Federal Catarinense (IFC), campus de Concórdia, além de discutir ações visando os Jogos Abertos de SC. A reunião contou com a presença das deputadas Caroline de Toni, presidente do Fórum, deputada Daniela Reinehr, e do prefeito de Concórdia, Rogério Pacheco.

Língua proibida
São inacreditáveis os termos de decreto – derrubado pelo Ministério Público Federal – do prefeito de José Boiteux, Adair Stollmeier, de só permitir o uso da língua portuguesa como idioma oficial nas repartições públicas locais. Dos quase 6 mil habitantes do município, 1.599 são indígenas. O idioma deles está tão vivo – e que maravilha que esteja assim – que há duas conselheiras indígenas no Conselho Tutelar, que se dirigem a seu povo no seu idioma. Tudo fica mais fácil. E se preserva a cultura e tradição deles.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo