Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Reforma pode gerar alta de 60% em impostos de itens da cesta básica e SC será um dos estados mais afetados

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Reforma pode gerar alta de 60% em impostos de itens da cesta básica e SC será um dos estados mais afetados

Raul Sartori

Que reforma é essa?
A Agência Brasil, que é do governo federal, publicou ontem que a proposta de reforma tributária apresentada na semana passada pode provocar um aumento de 59,83%, em média, nos impostos que recaem sobre a cesta básica e itens de higiene, de acordo com estimativa da Associação Brasileira de Supermercados. Pelos seus cálculos, SC, Paraná e Rio Grande do Sul serão os mais afetados, caso a reforma seja aprovada, já que o aumento médio na tributação será de estratosféricos 93,5%. As regiões Centro-oeste e Sudeste aparecem logo em seguida na lista, com alta prevista de 69,3% e 55,5%. Para as regiões Norte e Nordeste, o incremento deve ser de 40,5%, 35,8%. No levantamento, foram considerados produtos como arroz, feijão, carnes ovos, legumes, dentre outros. A pergunta que não quer calar: que reforma tributária é essa? Nossos deputados irão deixar passar?

Fidelidade
Analistas políticos observam que os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União), e do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), se distanciaram de Bolsonaro e tem apostado em um bom relacionamento com Lula, com direito a rasgados elogios. A postura dos dois difere da de outros políticos alinhados a Bolsonaro. É o caso de SC, onde o governador Jorginho Mello (PL) permanece fiel às pautas da direita e se mantém fechado ao governo federal.

Flórida brasileira
Uma das principais reportagens do “Estadão” de ontem questionou: “Florianópolis é a ‘Flórida brasileira’?” Diz que o aumento de sua população em 27,5% nos últimos 12 anos (tem agora 537 mil habitantes) foi causado, principalmente, por aposentados, profissionais que trabalham remotamente e interessado em qualidade de vida, que migraram para a capital catarinense. O resultado disse é que o custo de vida tem tido aumentos consideráveis nos últimos anos e meses.

Tchau
O Ministério dos Direitos Humanos não vai mais construir em SC um (o outro seria em Minas Gerais) dos dois grandes centros para menores infratores previstos no programa Novo Socioeducativo, do governo Bolsonaro, e que tinha R$ 67 milhões disponíveis. O MDH atendeu decisão do Conselho Nacional dos Direitos Humanos e do Adolescente, alegando “desvio de finalidade”, porque a construção seria no modelo PPPs (Parcerias Público-Privadas), “não indicado para a atendimento sócio-educativo”. Hum…

Independente
O PSD de SC enviou nota assinada por seu presidente, Eron Giordani, dizendo que o partido segue com atuação independente em relação ao governo estadual e que a decisão do deputado federal Ricardo Guidi, de aceitar o convite do governador Jorginho Mello, e assumir a Secretaria do Meio Ambiente, “é pessoal, sem indicação ou qualquer outra articulação do partido”. Acrescenta que o PSD seguirá “defendendo os interesses dos catarinenses na Assembleia Legislativa e na Câmara de Deputados e que trabalha por temas importantes, como a desburocratização do Estado e a diminuição de impostos”.

Esclarecimento
Informou-se aqui, equivocadamente, que governo do Estado vai investir R$ 8 milhões nas corporações de bombeiros militares, sem acenar nada para as 32 unidades voluntárias presentes em 50 municípios. O correto: a Associação dos Bombeiros Voluntários no Estado recebeu o mesmo valor em março passado.

Lembrança triste
O senador Esperidião Amin esteve em Blumenau na sexta-feira participando da abertura do Julho Laranja, que é o mês de prevenção a desastres naturais. Palestrou sobre a enchente de 1983, época em que era governador, com o tema: “40 anos depois”. Na catástrofe, a cidade contabilizou 50 mil desabrigados e oito vítimas fatais.

Investimento
Autoridades estaduais aguardam o momento certo para anunciar um investimento de R$ 1 bilhão em Laguna, com previsão de geração de 1,5 mil empregos diretos. Antecipar-se aos fatos antes de tudo estar 100% poderia ser mais um capítulo diante da fama que a cidade tem com empreendimentos muito anunciados e depois frustrados, a ponto de os mais pessimistas locais dizerem que a grande vocação econômica lagunense é vender vento engarrafado.

Senão
Coisas da burocracia e de ecochatos. Os javalis se tornaram uma praga que destrói lavouras de SC, especialmente na Serra, a tal ponto que foi permitido seu abate. Mas os caçadores, que são licenciados, não podem transportá-los. Projeto de lei do deputado estadual Sargento Lima (PL) permite, mas somente para os caçadores e proprietários de terra autorizados por órgãos de controle, como Ibama e Polícia Ambiental.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo