+

Saiba como está o processo de beatificação do Pe. Aloísio Boeing, de Jaraguá do Sul

A abertura oficial foi feita pela diocese de Joinville, em 2013

Saiba como está o processo de beatificação do Pe. Aloísio Boeing, de Jaraguá do Sul

A abertura oficial foi feita pela diocese de Joinville, em 2013

Redação O Município Joinville

Sete anos depois da abertura, faltam poucos passos para o processo de beatificação do padre Aloísio Boeing, de Jaraguá do Sul. O fundador da Fraternidade Mariana do Coração de Jesus morreu em 2006, aos 92 anos, e o seu túmulo recebe desde então fieis em busca de milagre.

De acordo com a Irmã Edena Maria Bitencourt, do Instituto Padre Aloísio (IPA), o processo aguarda o decreto de venerabilidade, o que tornaria o padre candidato à santidade. Para isso devem aparecer provas definitivas de santidade do candidato, ou seja, milagres.

Aberto oficialmente no dia 17 de maio de 2013, pelo bispo Dom Irineu Roque Scherer, a pedido da fraternidade e da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, o processo está parado no momento. Irmã Edena diz que devido à pandemia do coronavírus, ainda não é possível saber quando ele será retomado. Mas afirma que não há pressa. 

Parceiros da causa, ao fundo o quadro do Pe. Aloísio Boeing. Foto: Greyci e Jayne/Instituto Padre Aloísio

Edena conta que os familiares sempre deram todo o apoio necessário e acompanham rezando pela beatificação dele. 

O Instituto Padre Aloísio foi criado para dar suporte ao processo. Ele é mantido por sócios e benfeitores para administrar os fundos das mensalidades, doações, promoções, vendas e coletas. É possível colaborar com a causa acessando o site do IPA ou pelo WhatsApp (47) 3058 4281.

Segundo a Irmã Edena, devotos visitam o túmulo do padre, deixam relatos de graças alcançadas e pedem para conhecer o local onde ele viveu e morreu. “São muitos os relatos de graças, como cura de doenças, obtenção de emprego, graça de gravidez e outros”, destaca.

Ela informa que nos dias 17, conhecidos como dia devocional, que marcam o dia da morte do padre, são celebradas três missas. Estima-se que cerca de mil pessoas visitam o túmulo e participam das celebrações.

Edena acredita que sua fama de santidade foi como intercessor em vida e também após a morte. “Seu grande dom foi a acolhida, o aconselhamento e as bênçãos que dava. Desde o início de sua vida sacerdotal, passou a ser procurado pelo povo, para aconselhamentos espirituais, e esse atendimento se estendeu até o fim de sua vida”, finaliza.

Vida e obra de Pe. Aloísio 

Foto: Instituto Padre Aloísio

Padre Aloísio Sebastião Boeing é um sacerdote dos Padres do Coração de Jesus. Natural de Vargem do Cedro, sul do estado, nasceu em 24 de dezembro de 1913, e morreu em 17 de abril de 2006.

Começou a celebrar em Varginha (MG), para onde foi enviado logo após ser ordenado sacerdote, mas ficou apenas um ano. Em seguida veio para o Seminário de Corupá, onde trabalhou por nove anos na formação. Seus alunos o recordam como bom professor e excelente formador. 

Foi indicado para ser o mestre dos noviços, cargo que exerceu por 24 anos seguidos. Ele era devoto à Virgem Maria. Por sua iniciativa, o noviciado recebeu o nome de Nossa Senhora de Fátima.

Em 1974, fundou a Fraternidade Mariana do Coração de Jesus, em Jaraguá do Sul. Deixando a formação dedicou-se ao apostolado paroquial em Pomerode, Brusque e Jaraguá do Sul, onde viveu seus últimos anos.

O padre Aloísio nunca deixou de atuar no campo da pastoral. Desde o início de sua vida sacerdotal, passou também a ser procurado pelo povo, para aconselhamentos espirituais e bênçãos, até o fim de sua vida. Ele foi enterrado no jardim da Igreja Nossa Senhora do Rosário, bairro Nereu Ramos, Jaraguá do Sul.

Foto: Instituto Padre Aloísio

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo