+

Voluntárias de Joinville fazem leilão para ajudar crianças de Moçambique; saiba quando

Valor arrecadado será destinado para alimentar 700 crianças da aldeia de Namacata

Voluntárias de Joinville fazem leilão para ajudar crianças de Moçambique; saiba quando

Valor arrecadado será destinado para alimentar 700 crianças da aldeia de Namacata

Brenda Pereira | Revisão

Um grupo de voluntárias de Joinville está organizando um leilão para ajudar crianças de Moçambique, país localizado na África. O valor arrecadado será destinado para alimentar 700 crianças que vivem na aldeia de Namacata, na região da Zambésia.

Inspiradas pela missionária brasileira Dálida Ruiz, que atualmente vive na África, as joinvilenses criaram a Associação Diamantes de Dálida. Atualmente, o grupo tem 15 voluntárias. Desde maio, em encontros semanais, elas confeccionam artesanato e, com o dinheiro das vendas, ajudam na alimentação.

Duas refeições por semana

São feitas duas refeições por semana. Um prato de arroz e feijão aos sábados e papa de farinha branca adoçada, servida às quartas-feiras. A meta das voluntárias de Joinville arrecadar o suficiente para oferecer uma refeição diária na aldeia.

Leilão beneficente

Além da produção de bonecas, chaveiros, marca-páginas e de outros artigos que remetem à cultura africana, o grupo vai realizar neste mês um leilão beneficente e a venda de batiques originais, obras feitas por artesãos de Moçambique e compradas pela associação joinvilense.

Divulgação

Os batiques são pinturas que retratam os animais da savana africana e o cotidiano das comunidades da região. A obra a ser leiloada ficará disponível na Casa 97 a partir do dia 6 de dezembro. Os lances poderão ser ofertados até 23 de dezembro.

Para participar do leilão ou adquirir uma das pinturas em exposição, basta visitar o local (rua Arco-íris, 97, bairro Iririú) nos dias e horários de funcionamento do restaurante e registrar o lance. A Associação Diamantes de Dálida entrará em contato com o vencedor no dia 24 de dezembro.

Árvore de Esperança

Além dos batiques, quem quiser colaborar com a causa pode adquirir bonecas de capulana (tecido tipicamente africano) e outros itens da grife Diamantes de Dálida que serão usados na decoração da árvore de Natal da Casa 97, montada pela designer de interiores Ariane Godoy, da Amor de Casa Decor.

Todo o valor arrecadado no projeto “Árvore de Esperança: Alimentando Sonhos em Namacata” será destinado à compra de alimentos para as crianças e nas ações de auxílio prestadas às famílias que vivem no entorno da aldeia africana.

De acordo com Amarilda Nass, vice-presidente da associação, a cada boneca vendida o grupo consegue alimentar quatro crianças com um prato de arroz e feijão. “Toda ajuda é bem-vinda porque a fome não espera. A fome dói e temos pressa em garantir que mais recursos cheguem à aldeia.”

Divulgação

Dedicação

As voluntárias do projeto Diamantes de Dálida se encontram uma vez por semana, mas trabalho vai além. Após se reunirem, traçarem estratégias e dividir tarefas, elas levam moldes, tecidos, tesouras, agulhas, tintas e pincéis para casa, onde dedicam mais tempo à produção de bonecas, chaveiros, marcadores de página, panos de prato, canetas e lápis estilizados.

Os itens são comercializados em feiras de artesanato, no Closet da Betinha Brechó (rua Lages, 598, sala 4, fundos) ou pelo Instagram @diamantes_de_dalida.
Como surgiu o grupo

O projeto joinvilense nasceu quando um grupo de amigas conheceu a missionária Dálida Ruiz e soube das dificuldades enfrentadas em Quelimane, região africana duramente atingida por um ciclone em março deste ano.

O fenômeno climático destruiu plantações e desabrigou famílias que já viviam em situação de vulnerabilidade extrema. Dispostas a ajudar a missionária, as voluntárias colocaram a mão na massa e, atualmente, enviam recursos para alimentar, com duas refeições semanais, cerca de 700 crianças, a maioria órfã.

A presidente da Associação Diamantes de Dálida, Silvana Quézia, considera inadmissível que situações como essa ainda existam no mundo. “Sei que há uma longa jornada até que nossos ‘diamantes’ tenham pelo menos uma refeição diária, mas o projeto está crescendo e, além de alimentação digna e amor, queremos oferecer também melhores condições de higiene e saúde”, diz a voluntária.

Leia também:

1. Previsão do tempo em Joinville: confira qual a chance de chuva para esta quarta-feira
2.  Incêndio destrói casa em São Francisco do Sul
3. 42ª edição da Festa do Fundidor acontece nesta sexta-feira em Joinville
4. JEC negocia a contratação de Vagner Love para Campeonato Catarinense
5. Maria Fumaça de Natal percorrerá Joinville e região; saiba quando


Assista agora mesmo!

Fotos até em velório? No Bar da Zenaide, fotógrafo conta histórias inusitadas de trabalhos já feitos:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo