+

Indústria de Joinville investe mais de R$ 150 milhões para inaugurar fábrica em Minas Gerais

Fábrica foi inaugurada em novembro

Indústria de Joinville investe mais de R$ 150 milhões para inaugurar fábrica em Minas Gerais

Fábrica foi inaugurada em novembro

Isabel Lima | Revisão

A Docol, indústria de Joinville, anunciou investimento de mais de R$ 150 milhões para inaugurar fábrica em Poços de Caldas, em Minas Gerais. Segundo a empresa, o investimento representa um marco significativo na história da empresa, reforçando a presença no segmento de louças sanitárias e ampliando a atuação no cenário nacional.


A unidade industrial, que começou a operar em novembro, foi projetada para trazer ao segmento de louças sanitárias a qualidade, inovação e preocupação ambiental que caracterizam a atuação da Docol. A marca planeja expandir o portfólio de produtos.

Segundo Guilherme Bertani, presidente da Docol, esse é mais um marco na trajetória estratégica da empresa: crescer a partir da oferta ao mercado de diferenciais relevantes. “Ao expandir para o setor de louças sanitárias, nosso objetivo é fortalecer a fidelidade dos consumidores, criando um ciclo de reforço aos negócios”, afirma Bertani.

A empresa já atuava no mercado de louças sanitárias de alto padrão com importação. Agora, com a fábrica em Poços de Caldas, a empresa passa a ter controle total sobre o processo de criação e produção, permitindo maior flexibilidade e uma abordagem personalizada. Isso coloca a empresa em uma posição competitiva para atender às necessidades dos clientes e expandir sua presença no mercado.

Localização estratégica

Conforme a Docol, a decisão de estabelecer a nova fábrica em Poços de Caldas ocorreu após a avaliação de diversos estados e municípios e baseou-se em uma série de fatores estratégicos. A cidade oferece uma infraestrutura robusta, mão de obra qualificada e maior proximidade aos fornecedores de matéria-prima, juntamente com o estado de São Paulo e outros grandes centros consumidores.

A unidade de produção será responsável por uma extensa linha de produtos, incluindo bacias com caixa acoplada, cubas de embutir e sobrepor, e tanques de lavar roupa. A partir da nova planta, a Docol ganha capacidade para ampliar também sua presença internacional, uma vez que ela está preparada para atender não apenas ao mercado nacional, mas também reforçar as exportações da empresa, solidificando sua posição de destaque no mercado externo.

Impacto econômico

O projeto da fábrica começou há dois anos, e a fase de construção foi concluída em apenas um ano. “Investimos em equipamentos de alta tecnologia, processos industriais eficientes e produtividade elevada, incluindo automação e cuidados especiais com a ergonomia”, explica o presidente da empresa.

A Docol deve contratar cerca de 100 funcionários até o início de 2024, com projeções de expandir esse número para 500 nos próximos anos, sendo a maioria da região Sul de Minas Gerais. A empresa adotará na unidade a cultura Docol na gestão das pessoas, com treinamentos constantes, oportunidades de crescimento e valorização dos colaboradores.

Além disso, a fábrica adota um sistema de água em circuito fechado, permitindo a total reutilização. Os resíduos gerados são praticamente todos reaproveitados no processo interno, e aqueles que não podem ser reutilizados na fábrica têm destinação para um novo ciclo de vida útil. A empresa planeja investir em geração alternativa de energia para a planta.

Leia também:
1. Após decisão do STF, Joinville terá corte de R$ 15 milhões na Educação
2. Espetáculo de abertura do Natal de Joinville acontece neste domingo
3. Empresa abre mais de 250 vagas de trabalho temporárias em Joinville
4. UFSC planeja criação do curso de Medicina em Joinville
5. Censo 2022: entenda fatores da mudança populacional em Joinville


Assista agora mesmo!

Sargento Junkes leva o pai e o irmão para o bar da Zenaide para contar histórias de família:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo