+

Mais de 220 pinguins aparecem em praias da região de Joinville na última semana

Apenas 59 deles foram encontrados com vida

Mais de 220 pinguins aparecem em praias da região de Joinville na última semana

Apenas 59 deles foram encontrados com vida

Fernanda Silva

Mais de 220 pinguins foram encontrados nas praias da região de Joinville na última semana, entre os dias 16 e 19 de junho. A espécie é conhecida como pinguim-de-magalhães e costuma migrar entre os meses de junho e setembro em busca de águas mais quentes e comida.

O resgate dos animais é feito pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) da Univille, que normalmente é acionado pela população, que encontra os pinguins na faixa de areia. A maioria deles foram encontrados já sem vida, somando 164, mas outros 59 foram resgatados e encaminhados aos cuidados veterinários.

Projeto de Monitoramento de Praias Univille/Divulgação

As praias de São Francisco do Sul são as que mais receberam os visitantes. Ao todo, 108 foram encontrados por lá, 63 em Itapoá e 52 em Balneário Barra do Sul. Além destes municípios, Araquari também é monitorado pela Univille.

O PMP-BS explica que são os pinguins mais novos que fazem a migração, a partir dos quatro meses. Eles chegam a nadar por três mil quilômetros, vindo da Argentina, Ilhas Maldivas e Chile até o Brasil.

As causas da morte desses pinguins podem ser muitas. Como são muitos jovens, muitos não aguentam a distância percorrida. Outros não conseguem se alimentar direito, se perdem de seus grupos, ou até encontram no caminho redes de pesca, de acordo com o projeto.

Nestes casos, o projeto recolhe o animal, faz uma necrópsia para identificar a possível causa da morte e encaminha para uma empresa especializada, que faz o descarte. Agora, se ele é encontrado vivo, é encaminhado ao veterinário e reabilitado ao meio-ambiente.

Projeto de Monitoramento de Praias Univille/Divulgação

O que fazer se encontrar um pinguim

– Entre em contato com o PMP-BS da Univille pelo telefone 0800 642 3341 e (47) 3471-3816 ou pelo WhatsApp (47)99212 9218;

– Informe sua localização com um ponto de referência. Se o contato for feito pelo celular, se possível envie fotos do animal;

– Mantenha os animais domésticos afastados;

– Se for possível, enrole o pinguim em uma toalha e coloque-o em uma caixa de papelão;

– Nunca coloque o animal no gelo. Geralmente, ele já está hipotérmico, ou seja, com baixa temperatura;

– Não tente alimentá-lo.


Ainda não está no grupo de notícias do jornal no WhatsApp? Clique aqui e entre agora mesmo.

Você já nos segue no Instagram? Clique aqui para acompanhe as notícias também por lá e participar de sorteios.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo