+

Prefeitura de Joinville se manifesta sobre servidor afastado suspeito de corrupção

Servidor foi alvo de operação da Polícia Civil nesta terça-feira

Prefeitura de Joinville se manifesta sobre servidor afastado suspeito de corrupção

Servidor foi alvo de operação da Polícia Civil nesta terça-feira

Fred Romano

A Prefeitura de Joinville, por meio de nota enviada à imprensa, se manifestou sobre o caso do servidor público afastado por suspeita de corrupção. O servidor foi alvo de operação da Polícia Civil na manhã desta terça-feira, 10.

Segundo a nota, desde 2019, a Prefeitura de Joinville colabora com uma investigação do Ministério Público sobre supostas irregularidades na atuação de um servidor público. O servidor é concursado, desde 1995, e não ocupa cargo comissionado nem recebe gratificação por função.

O servidor esteve em licença de 2018 a 2022 e retornou às atividades como assistente administrativo, na Secretaria de Pesquisa e Planejamento Urbano (Sepur). Na função atual, ele não tem nenhum tipo de relação com processos de regularização fundiária.

Nesta terça-feira, 10, por volta das 8h, o servidor acompanhou a Polícia Civil em uma diligência na sede da secretaria. No local, agentes da polícia apreenderam o HD do computador utilizado por ele.

A prefeitura afastou cautelarmente o servidor e conduz uma sindicância investigatória para apurar os fatos.

No ano passado, a Controladoria-geral do Município passou a ter condição de secretaria, com total autonomia e independência para atuar com foco no combate à corrupção e na transparência da gestão municipal.

“A Prefeitura de Joinville segue combatendo fortemente a corrupção e colaborando com a atuação do judiciário e das autoridades policiais”, finaliza a nota.

Operação da Polícia Civil

Segundo a Polícia Civil, a operação Desregularização foi realizada pela 3ª Decor – Delegacia Especializada no Combate à Corrupção. Durante a operação foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão, mais de R$ 250 mil foram bloqueadas, dois veículos foram apreendidos.

A investigação visa apurar a suposta prática de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Todos os crimes teriam sido realizados por um servidor municipal da Secretaria de Pesquisa e Planejamento Urbano (Sepur) com atuação na área de regularização fundiária urbana.

Segundo apurado, o agente público investigado, usando seu cargo, atuava como representante de uma empresa de engenharia também investigada. Ele captava clientes e possibilitava a realização de processos administrativos de regularização fundiária junto à Prefeitura de Joinville, tudo em comunhão de esforços com os sócios da pessoa jurídica beneficiada e mediante contraprestação em dinheiro.

A apuração da 3ª Decor também demonstrou que os investigados praticam manobras de ocultação patrimonial, condutas estas que podem configurar o crime de lavagem de dinheiro.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Joinville, nos bairros Centro, Anita Garibaldi, Santo Antônio e Floresta. Dentre os alvos estão a sede da empresa investigada e a sede da Sepur, onde estava atualmente trabalhando o servidor público. Foram apreendidos documentos e aparelhos eletrônicos, que serão analisados.

Leia também:
1. Servidor da Prefeitura de Joinville é afastado suspeito de corrupção
2. Motociclista fica ferido após acidente com carro no Comasa, em Joinville
3. Tempo instável em Joinville: veja qual é a previsão para esta terça-feira
4. Obituário de Joinville: confira falecimentos dos últimos dias
5. Joinville faz campanha para arrecadar donativos para atingidos pelas chuvas em SC


Assista agora mesmo!

Papo com quem entende: representante da Opa revela o mais novo sabor da cerveja:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo