+

Saiba como foi a primeira audiência de julgamento da assassina da grávida de Canelinha

Audiência aconteceu nesta terça-feira

Saiba como foi a primeira audiência de julgamento da assassina da grávida de Canelinha

Audiência aconteceu nesta terça-feira

Redação O Município Joinville

A audiência de julgamento da assassina confessa Rozalba Maria Grime, que matou uma mulher grávida e roubou o bebê em Canelinha, aconteceu na última terça-feira, 16, por videoconferência, por conta da Covid-19.

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça, a audiência teve início às 13h30 e terminou por volta das 19h. Participaram 14 testemunhas e os dois réus, Rozalba e o marido Zulmar Schiestl.

Segundo o advogado de defesa de Rozalba, nomeado pelo Estado para a audiência, Caio Daniel Giraldi dos Santos, a audiência terminou por volta das 19h, e todas as testemunhas foram ouvidas.

“A audiência não teve empecilhos, todas as testemunhas foram bem cooperativas apesar de ser por videoconferência. A Rozalba também se mostrou bastante ciente ouvindo as testemunhas”, informa.

Sobre a assassina confessa, o advogado comenta que ela está muito abalada, e durante o interrogatório da audiência ela se manteve em silêncio.

Santos destaca que não houve testemunhas da defesa, pois eram as mesmas da acusação e todas foram ouvidas. “Conseguimos elucidar bastante os fatos para poder fazer principalmente o nosso papel na defesa”, comenta.

Rozalba segue no Presídio Feminino de Florianópolis, onde foi transferida no dia 7 de janeiro, por conta do fechamento do Presídio Feminino de Tijucas.
Próximos passos

Após a audiência, está aberto o prazo de cinco dias úteis para manifestação do Ministério Público e das defesas. A partir disso, o juiz irá se manifestar pelo pronunciamento dos acusados. Caso ele decida pelo pronunciamento, será marcada uma sessão no tribunal do júri.

Flávia Godinho Mafra foi encontrada morta no dia 28 de agosto de 2020. Ela era moradora do bairro Cobre, em Canelinha, e estava grávida de 36 semanas. O corpo foi encontrado no bairro Galera.

Rozalba Maria Grime, assassina da grávida encontrada em uma cerâmica abandonada em Canelinha, confessou que matou a vítima com golpes de tijolo na cabeça, de acordo com a Polícia Civil. No depoimento, a mulher afirmou ter usado um estilete para retirar o bebê do útero da gestante.

Segundo o delegado, a mulher admitiu ter contado à vítima que haveria um chá de bebê como forma de atraí-la. Flávia tinha saído de carona para um chá de bebê surpresa.

Ainda de acordo com o depoimento, ela levou a grávida para o bairro Galera, e a atacou com diversos golpes de tijolo.

A mulher ainda informou que estava grávida, e sofreu um aborto em janeiro de 2020. Ela não contou aos familiares e teve a ideia de roubar o bebê de Flávia.


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Joinville. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo