+

Saiba quanto o JEC já pagou para credores no processo de recuperação judicial

Clube está pagando valores para a classe trabalhista

Saiba quanto o JEC já pagou para credores no processo de recuperação judicial

Clube está pagando valores para a classe trabalhista

Bernardo Gonçalves

Em cinco meses, o Joinville Esporte Clube (JEC) já pagou um pouco mais de R$ 592 mil para a classe trabalhista no processo de recuperação judicial, que visa quitar uma dívida de pelo menos R$ 21,1 milhões.

O valor pago até o momento corresponde a 4% do valor total que a classe tem para receber, que é R$ 13,8 milhões.

Além disso, o montante já pago corresponde a 57% de R$ 1 milhão, valor que o clube precisa pagar até junho de 2024. Ou seja, o JEC já pagou mais de metade ainda neste ano.

“Fico com orgulho e agradeço o pessoal do (setor) administrativo que está trabalhando com isto aqui (recuperação judicial) mensalmente. E não é fácil, pois precisa ver a cada mês todos os credores, quem está catalogado e pagar um por um individualmente”, comenta o presidente do JEC, Darthanhan de Oliveira.

Em 2023, a parcela máxima que o clube pode pagar aos credores é R$ 40 mil por mês, sendo que o pagamento na classe trabalhista, sem carência e descontos, seja realizado até o valor referente até 15 salários mínimos.

Já de 15 a 150 cento e cinquenta salários mínimos, o pagamento tenha 20% de desconto, além de uma carência de juros de 12 meses contados da data base de implantação da recuperação judicial e um parcelamento em 108 meses.

Nas classes de microempresas e empresas de pequeno porte e de quirografários o pagamento será iniciará após o tempo de carência, que será de 60 meses.

A recuperação judicial do JEC é realizada sob a supervisão da administração judicial e dos credores, incluindo seu comitê. O não cumprimento das obrigações previstas no acordo de recuperação poderá resultar em falência.

Continua após o anúncio

Vendas

Um dos fatores para estes quase R$ 600 mil já pagos são valores recebidos pelas vendas dos atacantes Antony Alves e Chrystian Barletta para o Portland Timbers, da Major League Soccer (MLS), e Ceará-CE, respectivamente.

Em reais, a venda de Antony rendeu em torno de R$ 1,2 milhão. Deste valor, cerca de R$ 360 mil – que corresponde a 30% – foi destinado ao pagamento da recuperação judicial, conforme estipulado pelo plano elaborado pela diretoria.

Já de Barletta, o clube recebeu R$ 220 mil (duas parcelas de R$ 110 mil), sendo que também houve desconto de 30% em cada parcela para pagamento da recuperação judicial. Ou seja, R$ 154 mil foram destinados para pagamento aos credores.

O clube ainda tem para receber mais quatro parcelas de R$ 100 mil, que serão pagos pelo São Bernardo-SP, que negociou o jogador com o clube cearense.


Assista agora mesmo!

Sargento Junkes leva o pai e o irmão para o bar da Zenaide para contar histórias de família:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo