+

Após seis meses de espera, menino com deficiência recebe leite da Saúde em Joinville

Secretaria da Saúde chegou a enviar outra fórmula que, segundo a família, não suplementa todas as necessidades do menino

Após seis meses de espera, menino com deficiência recebe leite da Saúde em Joinville

Secretaria da Saúde chegou a enviar outra fórmula que, segundo a família, não suplementa todas as necessidades do menino

Fernanda Silva

Após seis meses de espera, a família de Benjamim, de 3 anos recebeu da Prefeitura de Joinville o leite utilizado para alimentação da criança. O menino se alimenta por sonda e a fórmula é sua única fonte de alimento. Benjamim tem síndrome de down, cardiopatia e megacólon congênito. Uma possível doença na traqueia também é investigada.

Neste período, o governo municipal chegou a entregar outra fórmula que, segundo a família, não suplementa todas as necessidades do menino. Atualmente, a criança precisa se alimentar com o Peptamen Júnior. Segundo a mãe, Jhenifer Fernandes, a fórmula foi indicada por uma médica e a receita é adaptada conforme a necessidade do paciente de nutrientes, calorias, entre outros suplementos.

A família solicitou 29 latas da fórmula em dezembro de 2021, sendo que o pedido logo foi deferido pela Prefeitura de Joinville. Porém, como poucos pacientes utilizam este produto, não há estoque, então, para ser adquirido, foi realizada uma licitação. Seis meses se passaram e a família ainda não havia recebido o leite solicitado. Foi somente na sexta-feira, 10, que a mãe conseguiu retirar a fórmula solicitada.

Entrega de outra fórmula

Antes de conseguir a alimentação solicitada, Jhenifer recebeu outra fórmula. Porém, a mãe da criança afirma que o produto entregue em abril não era o mesmo da receita médica. A família recebeu o Pregomin, que, conforme Jhenifer, não supre as atuais necessidades nutricionais do filho e, por isso, não pode ser consumida por ele.

Na ocasião, Jhenifer avisou que recebeu o leite errado, mas foi informada que o Pregomin havia sido pedido e enviado pela prefeitura, sem interferência da Farmácia Escola. Após a ocorrência, os pais da criança entraram com novo pedido para conseguir a fórmula Peptamen Júnior.

Sem receber a alimentação de forma gratuita e com o custo da lata por volta de R$ 200, Benjamim dependia que outras famílias tivessem a fórmula para doação ou venda por um valor mais em conta.

Prefeitura diz que pedido foi entregue conforme solicitado

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a Peptamen e a Pregomin são marcas da fórmula infantil hidrolisada. De acordo com a pasta, na receita do paciente a nutricionista chegou a indicar uma determinada marca, mas deixou claro que se referia a fórmula infantil hidrolisada.

Ainda conforme a prefeitura, o município, quando faz licitação não pode especificar entre uma marca e outra e a que foi fornecida em abril era a Pregomin. Agora em junho, por exemplo, o vencedor da licitação teria optado, então, por enviar a outra marca da fórmula, sendo a Peptamen Junior.

Não existe uma política nacional de fornecimento de fórmulas pelo SUS. Para atender a demanda, foi instituído pela Secretaria Municipal de Saúde de Joinville um protocolo para fornecer determinados tipos de fórmulas com base em análises técnicas de necessidade dos pacientes.

Diferenças entre as marcas

A nutricionista Michele Küster, do corpo clínico do Hospital Dona Helena, explica haver diferenças entre as fórmulas Peptamen Júnior e a Pregomin.

Ambas servem para fazer a alimentação com proteína quebrada, utilizada para pacientes com distúrbio gástrico e que, por algum motivo, não podem consumir proteína inteira. O que muda é que os nutrientes presentes na Pregomin atendem necessidades de crianças de até 1 ano e o Peptamen Júnior, de 1 a 10 anos.

“Muda os micronutrientes porque um bebê tem necessidades diferentes de uma criança até 10 anos. São até similares, com o princípio de ter a proteína quebrada, mas os nutrientes adaptados por idade”, explica a nutricionista. Segundo Michele, há marcas que são equivalentes, desde que atendam a mesma idade.

A nutricionista também explica que, em alguns casos, a Pregomin pode ser utilizada por uma criança com mais de 1 ano desde que a mesma tenha outras fontes de alimentação e nutrição. “Se única alimentação é a fórmula, tem que garantir tudo que ela precisa nessa fórmula”, aponta. Caso contrário, a criança pode ter falta de outros nutrientes.

Leia também:
Saiba quais empresas têm mais reclamações no Procon de Joinville
Procon de Joinville divulga pesquisas de preços da cesta básica e do churrasco
Covid-19: Joinville amplia faixa etária e inclui profissionais da saúde para quarta dose de vacina
Fake news: golpe de mecânico para gerar problema em roda não foi em Blumenau
Governo de SC é condenado após morte de jovem em presídio no Vale do Itajaí


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Joinville. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo