+

Confira dez mitos e verdades sobre a dengue

Joinville registrou mais de 12 mil casos da doença em 2024

Confira dez mitos e verdades sobre a dengue

Joinville registrou mais de 12 mil casos da doença em 2024

Brenda Pereira | Revisão

De janeiro até abril, Joinville registrou mais de 12 mil casos de dengue e 20 mortes pela doença em 2024. Com este cenário, surgem mitos e verdades sobre a dengue e o Aedes Aegypti, mosquito transmissor da doença.

Confira mitos e verdades sobre a dengue:

O uso de inseticidas nos ambientes é suficiente para eliminar o Aedes aegypti?

MITO: inseticidas podem ajudar a espantar o mosquito dos ambientes, mas não impede que o inseto se aproxime das pessoas. Por isso, é recomendável a aplicação de repelente principalmente nas pernas e braços, áreas mais expostas e de alcance do mosquito. As crianças devem usar repelentes de acordo com orientação médica. Entretanto, para combater efetivamente o mosquito, a dica é eliminar todos os objetos que podem ser possíveis criadouros.

A dengue pode ser contraída mais de uma vez?

VERDADE: existem quatro sorotipos do vírus da dengue, sendo que dois deles circulam em Joinville. Ao contrair a dengue, a pessoa fica imunizada permanentemente para aquele tipo, mas não para os outros. As formas mais graves da doença podem se manifestar tanto na primeira infecção como, também, na reincidência da doença.

Durante o inverno é possível reduzir os cuidados com a dengue?

MITO: com as temperaturas mais baixas, a circulação do mosquito Aedes aegypti diminui, mas não deixa de existir. Além disso, os ovos depositados em criadouros podem resistir por mais de um ano e eclodir na presença de condições climáticas favoráveis, reiniciando o ciclo de vida do mosquito.

Existe vacina contra a dengue?

VERDADE: a Secretaria de Saúde de Joinville aplicou a vacina contra a dengue em 9.805 crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, desde o início da imunização, em 24 de fevereiro de 2024. O público-alvo definido pelo Ministério da Saúde são crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos que não tiveram dengue nos últimos seis meses e que não estejam com suspeita da doença, febre ou sintomas gripais. Aplica-se duas doses da vacina com um intervalo de três meses para realizar a imunização.

Rios, córregos e riachos podem ser criadouros do mosquito?

MITO: o mosquito Aedes aegypti não coloca os ovos em água corrente. Mas lixo, recipientes e pneus descartados nas margens de rios e córregos podem acumular água limpa e se tornar criadouros do mosquito, e é importante manter a limpeza nesses locais. As piscinas também não são ambientes propícios para a colocação de ovos, desde que estejam com a água devidamente tratada.

Nenhum medicamento cura a dengue?

VERDADE: não existe nenhum antiviral que cure a dengue. O tratamento dos sintomas, como dores musculares, após o diagnóstico da doença, pode envolver o uso de analgésicos como paracetamol ou dipirona, na dosagem recomendada pelo médico. Por outro lado, deve-se evitar o uso de medicamentos como AAS e anti-inflamatórios como diclofenaco, nimesulida e cetoprofeno.

Colocar água sanitária na água ajuda a eliminar as larvas do mosquito?

MITO: a água sanitária evapora rapidamente e não elimina as larvas. Os produtos capazes de eliminar as larvas são o hipoclorito de sódio ou o cloro. É importante lembrar de escovar bem os recipientes e potes de alimentos dos animais. Além disso, é necessário proteger locais como calhas, ralos e caixas de passagem com tela.

Hidratação ajuda a curar a dengue?

VERDADE: a hidratação é fundamental para o tratamento da doença, e é recomendável a ingestão abundante de líquidos como água, água de coco, chás naturais e o soro caseiro. A dengue causa saída de água de dentro dos vasos sanguíneos para outras partes do organismo, podendo causar queda de pressão, líquidos no pulmão ou abdômen, bem como sobrecarga nos rins.

Em lugares altos não é preciso se preocupar com o mosquito Aedes aegypti?

MITO: embora o raio de voo do mosquito seja baixo, 1,5 metro de altura, ele pode ser levado para locais mais altos com a ajuda do vento ou, até mesmo, ao pousar em roupas e outros objetos.

O combate ao mosquito Aedes aegypti é a melhor forma de prevenção da dengue?

VERDADE: e a maneira mais efetiva de evitar a proliferação do mosquito é eliminar o acúmulo de lixo e proteger locais que podem virar possíveis criadouros, tais como vasos de plantas, tampas e garrafas plásticas, bromélias, piscinas sem uso e sem manutenção, pneus, caixas d’água, pequenos recipientes, entre outros.

Leia também:
1. Chuva em Joinville: alerta laranja e risco de alagamentos permanecem nesta terça-feira
2. Homem é encontrado morto em casa abandonada em Joinville
3. Michel Teló faz show gratuito no aniversário de 35 anos de Itapoá
4. Joinville registra 20ª morte por dengue em 2024
5. Dois hospitais de Joinville alcançam alta conformidade em avaliação da Anvisa


Assista agora mesmo!

Palácio Episcopal foi construído para primeiro bispo de Joinville, inspirado no estilo barroco:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo