+

Joinville Vôlei luta até o fim, vence Sesi Bauru e força terceiro jogo pelas semifinais da Superliga

Partida teve Centreventos Cau Hansen lotado nesta quinta-feira

Joinville Vôlei luta até o fim, vence Sesi Bauru e força terceiro jogo pelas semifinais da Superliga

Partida teve Centreventos Cau Hansen lotado nesta quinta-feira

Bernardo Gonçalves

Em jogo que durou mais de três horas, o Joinville Vôlei venceu o Sesi Bauru por 3 sets a 2 no segundo jogo da série das semifinais da Superliga na noite desta quinta-feira, 18. O clube, empurrado por uma torcida que lotou o Centreventos Cau Hansen, fez uma partida com altos e baixos, mas lutou até o fim e forçou o terceiro confronto entre as equipes. As parciais foram 25-19, 25-21, 25-16, 25-22 e 21-19.

O terceiro jogo acontece já nesta segunda-feira, 22, às 18h30, na Arena Paulo Skaf, em Bauru. Quem vencer, avança à grande final, que ocorre em jogo único no Recife, no dia 28 de abril.

1º set

Assim como na primeira partida entre as equipes, a segunda começou muito equilibrada. Até o décimo ponto para cada lado, a diferença no placar não foi maior que dois pontos para ambas.

Após isso, o Sesi-Bauru começou a dominar o set e abriu 16 a 10 com ótimo aproveitamento da defesa e, principalmente, no ataque com Darlan.

Do outro lado, o Joinville Vôlei tinha dificuldades na recepção, o que dificultava o levantador Rhendrick na distribuição de bolas.

Desta forma, os visitantes mantiveram a diferença no placar e fecharam o primeiro set em 25 a 19.

2º set

Como em toda a série, a troca de pontos “lado a lado” foi constante no início do segundo set. Apoiado pela torcida, o Joinville tentava se “desgarrar” e abrir vantagem, mas a equipe paulista manteve o ótimo aproveitamento no ataque.

Porém, isso mudou a partir do décimo ponto dos donos de casa, que começaram a abrir vantagem a partir do bom aproveitamento do ataque, erros do Sesi e bloqueios em cima de Darlan, que pouco fez no set.

O técnico dos visitantes parou o jogo duas vezes e o clube de Bauru ensaiou uma reação, mas o Joinville manteve a diferença e empatou o jogo com a parcial de 25 a 21.

Ataque de Darlan, do Sesi, durante partida contra o Joinville Vôlei pela semifinal da Superliga Foto: Daniel Mafra

3º set

Diferente de todos os sets do confronto, o terceiro do jogo no Cau Hansen teve o Sesi Bauru abrindo 12 a 6. Foi um “balde de água fria” em toda torcida do Joinville, que estava empolgada com a vitória no set anterior.

O técnico do Joinville, Peu, pediu os dois tempos que tinha direito ainda antes da equipe somar dez pontos no placar. Além disso, deixou o oposto Bisset mais minutos em quadra.

Mesmo com isso, o Sesi teve mais efetividade e a reação dos joinvilenses não foi suficiente para a virada. A parcial para o clube paulista foi de 25 a 16.

4º set

No set que o Joinville precisava ganhar para levar o jogo ao tie break, o equilíbrio voltou a se fazer presente. Ainda no começo, o central Thales de Souza chamou a torcida, que empurrou a equipe para abrir alguns pontos de vantagem.

Num pedido de tempo do Sesi, o técnico do clube, Anderson Rodrigues, se desentendeu com o levantador Thiaguinho Veloso. Isto não abalou os jogadores do Sesi, que buscou o empate em 12 a 12.

O jogo se manteve tenso em todo o set. Mesmo com isso, o Joinville, que sentia a energia dos torcedores nas arquibancadas, manteve a consistência no ataque para liderar o placar e vencer por 25 a 22 em ponto de Honorato.

5º set

No set decisivo, os jogadores não davam perdida em nenhum bola. Os principais jogadores das duas equipes eram acionados sempre que possível. Honorato pelo lado do Joinville Vôlei e Darlan pelo Sesi.

O equilibro da série inteira também foi presente no tie break também, sendo que a troca de lado obrigatária na metade do set foi com o Sesi em vantagem em 8 a 7.

No ponto seguinte, ataque de Honorato foi dada como fora, mas no desafio foi visto um toque no bloqueio. O camisa 8 chamou a torcida, que jogou junto em todos os momentos. Com isso, a equipe de Joinville virou o set em 10 a 9.

Porém, o Sesi Bauru mostrou a forças e virou o set, que teve trocas de lideranças ponto a ponto. Com 13 a 13 no placar, o Sesi pediu um desafio após ataque. A bola foi realmente fora e deixou o Joinville a um ponto da vitória, o que aconteceu algumas vezes, mas a equipe não conseguia aproveitar.

O Sesi, que na primeira vez que teve oportunidade de matar o duelo, já com 18 a 17 no placar, também não conseguiu. O jogou teve tensão até o fim, com desafios para ambos os lados e alternâncias no placar.

O clube paulista apostou nas bolas importantes em Darlan, que fez 48 pontos na primeira partida, mas acabou sendo bloqueado duas vezes seguidas no momento mais critico do jogo e o Joinville Vôlei venceu o set decisivo em 21 a 19.

Leia também:
1. “Ação politiqueira”: vereador de Joinville alvo de operação que investiga rachadinha se manifesta
2. Joinville confirma três casos de Chikungunya
3. Com casa cheia, Joinville Vôlei tenta empatar série contra o Sesi Bauru pela Superliga
4. Joinville não se encaixa na ampliação da vacina contra dengue recomendada pelo Ministério da Saúde
5. Panificadora de Joinville paga multa por exigir valor mínimo para aceitar pagamento via Pix


Assista agora mesmo!

Palácio Episcopal foi construído para primeiro bispo de Joinville, inspirado no estilo barroco:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo