+

Limpeza de barro contaminado é concluída na Serra Dona Francisca

SIE deve iniciar restauração do talude

Limpeza de barro contaminado é concluída na Serra Dona Francisca

SIE deve iniciar restauração do talude

Fred Romano

A limpeza do barro contaminado pelo ácido sulfônico foi concluída na Serra Dona Francisca (SC-418) nesta quarta-feira, 8.

O serviço havia começado nesta segunda-feira, 5, e é realizado pela empresa Ambipar. Com a finalização deste serviço, a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade deve começar a restauração do talude de contenção de curva e das sinalizações necessárias no local.

O acidente

Um acidente com um caminhão na Serra Dona Francisca (SC-418) derramou ácido sulfônico no solo e no rio Seco. O acidente aconteceu na manhã do dia 29 de janeiro.

No quilômetro 16, popularmente chamado de “curva da morte”, o caminhão ultrapassa uma fila de veículos, segue reto na curva e bate contra um barranco. Por pouco, outro caminhão e um carro que passavam pelo local não foram atingidos pelo veículo.

Após o tombamento, um incêndio também foi registrado, além do vazamento do ácido sulfônico. O condutor do caminhão sofreu apenas lesões leves, ficou internado durante a noite no Hospital São José e recebeu alta na manhã seguinte.

O que é o ácido sulfônico?

O ácido sulfônico é utilizado para limpeza. “Ele é um tensoativo, usado na fabricação de detergentes, líquidos, pós e pastosos. Ele também é um agente emulsionante na produção de agrotóxicos. Ele também é utilizado como auxiliar em processos têxteis”, explica a doutora em química e professora da Unisociesc, Lucile Peruzzo.

A composição dele é um conjunto de ácidos orgânicos. “A composição química dele é ácido alquilbenzeno sulfônico”, conta ela.

O ácido sulfônico tem um aspecto viscoso, castanho escuro e odor de enxofre. “Ele é altamente solúvel em água e forma aquelas espumas que podem comprometer toda a vida aquática”, conta a professora.

O ácido sulfônico é perigoso?

“Ele tem alguns perigos, pode ser corrosivo para metais, pode ser nocivo se ingerido, provoca irritação na pele, lesões oculares graves”, diz Lucile.

“Ele é bem tóxico também para toda a vida aquática, é importante evitar a liberação para o meio ambiente”, complementa a especialista. Além disso, com contato direto, o ácido sulfônico pode causar vermelhidão, ressecamento na pele, falta de ar e dores de garganta.

Leia também:
1. Antes do fim do Catarinense, volante pede rescisão de contrato e deixa o JEC; saiba qual
2. Previsão do tempo: confira como será quinta-feira em Joinville
3. Corpo de homem desaparecido é encontrado em mata em Joinville
4. Lotofácil 3024: apostas de Joinville são premiadas por acertar 14 números
5. No apagar das luzes, JEC busca empate contra Avaí na Arena


Assista agora mesmo!

RISOTO SEM ARROZ: VOCÊ NUNCA MAIS VAI QUERER FAZER RISOTO DE OUTRO JEITO:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo