+

JEC mantém direitos econômicos de mais de 25 jogadores; confira lista completa

Ao todo são 28 atletas que continuam vinculados ao tricolor

JEC mantém direitos econômicos de mais de 25 jogadores; confira lista completa

Ao todo são 28 atletas que continuam vinculados ao tricolor

Bernardo Gonçalves

O Joinville Esporte Clube (JEC) divulgou no dia 26 de abril a demonstração financeira do clube referente aos anos de 2023 e 2022, auditada pela empresa Doros Auditoria. No documento, o clube informou a relação de jogadores profissionais dos quais mantém direitos econômicos até 31 de dezembro de 2023. Ao todo, são 31 nomes na lista, mas conforme apurado pela reportagem do jornal O Município Joinville, são 28 que continuam vinculados ao tricolor.

Na relação está o nome de Madson, que teve 75% dos direitos econômicos vendidos para um grupo de investidores em 2018 por R$ 500 mil e, posteriormente, mais 15% por R$ 450 mil.

No balanço atual, o clube teria ainda 5%. Porém, a reportagem apurou que o clube não possui mais nenhuma porcentagem do atleta. O motivo da perda não foi esclarecido. Atualmente, Madson atua no Moreirense, na primeira divisão do futebol português.

Madson com a camisa do JEC pela Série de 2018. | Foto: Beto Lima/Arquivo JEC

Divergências

A reportagem apurou também que há duas divergências na lista de divulgada. Na lista, o JEC teria 10% dos direitos econômicos do atacante Antony Alves, vendido para o FC Arouca, de Portugal, por 60 mil euros. Na negociação, o Joinville vendeu 80% dos direitos.

Antony em jogo pelo FC Arouca. | Foto: FC Arouca/Divulgação

No ano passado, o clube português negociou o atacante com o Portland Timbers, da Major League Soccer (MLS). Na lista de porcentagens divulgada, o JEC ainda teria os 10%.

Porém, a porcentagem correta é 5%, visto que na negociação entre FC Arouca e Portland o tricolor vendeu 5% e mais 1,3% do direito de solidariedade da Fifa para transações internacionais por 230 mil euros. Em reais, a venda rendeu em torno de R$ 1,2 milhão.

A outra divergência é em relação ao atacante Daniel Troiano, negociado com o Fortaleza-CE em 2023 por R$ 200 mil. Na relação, o JEC ainda teria 90% dos direitos econômicos do atleta. Entretanto, o clube permanece com 20%, conforme divulgado pelo próprio tricolor.

O atleta foi destaque no Campeonato Catarinense sub-20 do ano passado e vendido ao clube cearense antes mesmo do fim do estadual da categoria.

Indefinição

A reportagem do jornal O Município Joinville também apurou que há uma indefinição com a porcentagem que o JEC mantém do atacante Janderson, negociado em 2019 com o Corinthians-SP, que comprou 70% dos direitos econômicos por R$ 700 mil. O tricolor teria 30%, de acordo com a lista divulgada pelo clube.

Entretanto, segundo o jornal O Povo, o JEC teria 15% após negociação entre Grêmio e Ceará-CE – clube que o atleta está atualmente – depois do jogador rescindir o contrato que tinha com o clube paulista. Janderson tinha contrato até o fim de 2023 com Corinthians e estava emprestado ao Grêmio.

Na apuração, a reportagem confirmou que o JEC mantém uma porcentagem da qual o Corinthians tem com o Ceará, porém, não houve confirmação de qual a porcentagem exata.

Leia também: Caso judicial entre Ceará e Chrystian Barletta deixa JEC sem direitos econômicos de atleta e R$ 400 mil

Outros nomes

O JEC também mantém vínculo com outros jogadores que passaram pela equipe profissional, como o meia Diego Mathias, que atualmente está no Brusque. O tricolor mantém 35% dos direitos do jogador. Ele passou pelo clube entre 2019 e 2021.

Diego com a camisa do JEC contra o Brusque. | Foto: Vitor Forcellini/Arquivo JEC

Jovens das categorias de base, como Antônio Porto, Yalle Rodrigues e Danilo Matielo, que disputaram o Campeonato Catarinense deste ano pelo clube, tem 75%, 70% e 90%, respectivamente, dos direitos econômicos vinculados ao JEC. Todos possuem contrato com o JEC até 2025.

Antônio Porto (de braços abertos) é umas das promessas recentes do clube e marcou um gol no Catarinense deste ano. | Foto: Gustavo Mejía/JEC

Já outros nomes, como o goleiro Caio Ghisleri e o atacante Takumi Hatakeyama, também estavam na lista, mas deixaram o clube após o estadual e não tem mais vínculos com o tricolor.

Jogadores das categorias de base que ainda não estrearam no profissional, como o goleiro Pedro Nagel, o zagueiro José Neto e o meia Cristyan Oliveira, possuem vínculo com o JEC de 100%, 70% e 15%, respectivamente.

Confira a lista completa dos atletas que mantém vínculo com o JEC:

Leia também:
1. Tempo em Joinville: veja como fica previsão neste fim de semana
2. Homem desaparecido em Joinville é encontrado em São Francisco do Sul
3. Motorista morre em colisão traseira na BR-101, em Itapema
4. Joinville busca investimentos turísticos em evento nacional
5. Operação esclarece que homem foi morto por engano em Porto União


Assista agora mesmo!

Família síria foge de terremoto na Turquia e encontra lar em Joinville:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo