+

VÍDEO – Empresária e influenciadora é presa por estelionato em Santa Catarina

Mayara tem quase 200 mil seguidores nas redes sociais

VÍDEO – Empresária e influenciadora é presa por estelionato em Santa Catarina

Mayara tem quase 200 mil seguidores nas redes sociais

Marlos Glatz

Na tarde dessa segunda-feira, 30, a Polícia Civil, por meio do Setor de Investigação Criminal (SIC), prendeu em flagrante pelo crime de estelionato, a influenciadora e empresária de 32 anos, Mayara Lima Corrêa, que possui quase 200 mil seguidores em uma rede social.

Após monitorar a principal suspeita de praticar diversos golpes em comerciantes da região por meio de compras on-line, os agentes realizaram a abordagem, na frente do estabelecimento comercial e flagraram diversos produtos recém adquiridos pela internet, de forma ilícita.

No local, a equipe encontrou três máquinas de bronzeamento artificial. Foi feito contato com a vigilância sanitária, que interditou o estabelecimento. Após diligências complementares, os policiais constataram que os demais produtos adquiridos ilegalmente estariam em sua casa localizada no bairro Vila Operária.

Produtos na residência

No interior da residência, foram encontrados diversos produtos, avaliados em aproximadamente R$ 40.000,00, novos, ainda com etiqueta, os quais foram apreendidos e encaminhamos para apreciação da autoridade policial plantonista.

Mayara foi encaminhada ao Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí e se encontra à disposição da Justiça.

Defesa de Mayara

O advogado da influenciadora, Franklin Assis, de Blumenau, emitiu um comunicado sobre o caso. Confira:

O Advogado Criminalista Franklin Assis, que está atuando na defesa da empresária Mayara Rafaela Lima Correa, informa que teve conhecimento sobre os elementos do auto de prisão em flagrante apenas nesta terça-feira (31) pela manhã.

A defesa vai acompanhá-la na audiência de custódia marcada para o início da tarde de hoje, cujo objetivo é a concessão da liberdade provisória para que a empresária responda o processo em liberdade; uma vez que é primária, tem residência fixa e não oferece risco à ordem pública. A intenção é substituir a prisão por medidas cautelares.

Franklin Assis informa ainda que no decorrer do processo vai analisar os elementos e a dinâmica dos fatos para então trazer novos argumentos à estratégia da defesa.

Leia também:
1. Entenda o que é ônibus prateado que tem circulado por Joinville
2. Sinal 5G é liberado para uso em Joinville; veja qual operadora e em quais bairros
3. Kombi do Scooby-Doo chama atenção nas ruas de Joinville; conheça história
4. Universidade de Joinville abre edital com mais de 300 bolsas de estudo de 100% para cursos EAD
5. Justiça de Joinville condena aplicativo que suspendeu motorista por antecedentes criminais inexistentes

 


– Assista agora:
Região de Joinville já era habitada há 10 mil anos: conheça os quatro povos anteriores à colonização

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo