+

Conheça a realeza do Carnaval de Joinville e detalhes da festa

Rainha, rei momo, primeira e segunda princesa estarão presentes em toda festa

Conheça a realeza do Carnaval de Joinville e detalhes da festa

Rainha, rei momo, primeira e segunda princesa estarão presentes em toda festa

Redação O Município Joinville

A chegada do Carnaval de Joinville em 2023 levará para a avenida Beira-Rio uma realeza ansiosa para retomar o posto. Empossados em 2019, para cumprir o biênio 2019-2020, a rainha, rei momo, primeira e segunda princesa seguem com as faixas devido ao cancelamento da festa nos anos anteriores por causa da pandemia de Covid-19.

Conheça a realeza

A rainha é Sabrina da Costa Lima. A primeira princesa é Cleoci de Freitas da Silva e a segunda princesa Helena Cristina da Costa. Já o rei momo é Paulo Sérgio da Rosa.

Rainha, rei momo, segunda princesa e primeira princesa (da esq. para dir.) | Foto: Prefeitura de Joinville / Divulgação

Neste ano, eles estarão presentes em todos os momentos da festa, recepcionando os foliões nos dias do evento e circulando entre o público. Além do sorriso no rosto e do domínio do samba, eles têm em comum o amor pelo Carnaval.

“Vamos levar alegria e animação para os foliões joinvilenses durante todos os dias da festa”, garante o rei momo.

Para a rainha Sabrina, o Carnaval tem um significado especial, que envolve dedicação e esforço. Ela concilia a vida familiar e a carreira profissional com os ensaios e a direção do Grêmio Recreativo Escola de Samba (GRES) Unidos pela Diversidade.

Antes de chegar ao posto de rainha, foi a primeira e segunda princesa do Carnaval de Joinville. “O Carnaval se tornou a porta de entrada para revelar o que há de melhor em meu corpo, alma e coração. Ser rainha exige muita disciplina, foco e determinação para superar as dores no corpo, bolhas no pé e exaustão. Nunca desisti”, conta.

Tradição e simbolismo

Quem chegar cedo para assistir ao Carnaval em Joinville poderá apreciar a participação do bloco afro Afoxé Omilodê, que abre a festividade. O som forte e potente dos tambores e atabaques, combinado com as danças e canções vibrantes, tem o propósito de limpar simbolicamente os caminhos de todos os foliões e abençoar a festa.

A prática, realizada há 18 anos no Carnaval de Joinville, é tradicional em todo o Brasil e tem raiz nas religiões afro-brasileiras. No município, a atividade é coordenada por membros da Associação Casa da Vó Joaquina, espaço social, cultural e religioso que atua há 35 anos em Joinville. Neste ano, serão cerca de 200 pessoas.

Segundo a presidente da Casa da Vó Joaquina e Yalorixá, Jacila Barbosa, a prática de abrir o Carnaval envolve uma série de ritos. “No início, colocamos o padê na avenida, saudamos baba otim, o Bara, que nos permite e nos dá licença para realizarmos a festa. Depois jogamos água de cheiro e fazemos defumação da rua. A intenção é limpar e perfumar, e assim espantar as energias negativas para proteger quem participa do festejo”, explica.

“Durante o ritual, oferecemos flores brancas para o público também com a intenção de harmonizar a avenida. Nossas rezas são para todos”, completa Jacila.

Quando será o Carnaval de Joinville

O Carnaval é realizado pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e pela Liga das Escolas de Samba de Joinville. Este ano, o evento ocorre um fim de semana antes do feriado de Carnaval, abrindo a programação carnavalesca no Estado.

O ponto alto será no sábado, 11, com o Desfile das Escolas de Samba. A concentração começa às 18h, na avenida Beira-Rio. Este ano, o desfile inicia na esquina da rua Max Colin e termina após o Centreventos Cau Hansen. Já no domingo, 12, ocorre o Carnaval da Família, que contempla Carnaval Infantil, Rua do Lazer, Pet Folia e Encontro de Blocos, também na avenida Beira-Rio.

Leia também:
1. Suspeito de fugir de abordagem e matar jovem deve ser julgado em júri popular em Joinville
2. Casa da Cultura de Joinville abre inscrições para cursos em 2023
3. Justiça de Joinville condena aplicativo que suspendeu motorista por antecedentes criminais inexistentes
4. Sinal 5G é liberado para uso em Joinville; veja qual operadora e em quais bairros
5. Adolescente de 13 anos rouba mulher na região sul de Joinville

– Assista agora:
Região de Joinville já era habitada há 10 mil anos: conheça os quatro povos anteriores à colonização

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo